NOTÍCIAS

Congresso do BNB termina com unidade para reforçar a luta

 

Funcionários aprovam pauta de reivindicações a ser entregue ao banco

A importância da unidade para reforçar a luta e avançar nas conquistas foi o entendimento unânime durante o 23º Congresso Nacional dos Funcionários do BNB, realizado nos dias 7 e 8 de julho, em Itapuã, Salvador (BA). Os 116 delegados reafirmaram ainda o compromisso com a mobilização para barrar os ataques do governo contra os trabalhadores brasileiros.
Emprego, remuneração, a defesa do BNB, diante das ameaças de desmonte, saúde, condições de trabalho, segurança e Previdência foram os principais assuntos debatidos durante os dois dias de Congresso.

Na plenária final, ocorrida na tarde do último sábado (8), os funcionários aprovaram as propostas debatidas pelos quatro grupos de trabalho, que vão nortear a pauta de reivindicações a ser negociada com o banco.

O secretário de Políticas Sindicais da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Gustavo Tabatinga, considerou o evento bastante positivo e motivador para fazer o enfrentamento da empresa e do governo. “Com a participação de mais de 100 delegados e delegadas de todas as regiões do Brasil, principalmente do Nordeste, saímos do Congresso com a consciência de unidade reforçada. A Bahia nos fez muito bem. Nos trouxe alegria nos rostos dos bancários, além de força e confiança de que é possível resistir e vencer aos ataques. Conseguimos o consenso pela primeira vez na história dos congressos organizados pela Contraf-CUT. Não tivemos nenhuma polêmica trazida para a plenária final”, comentou.

Gustavo Tabatinga reforçou que a plenária final “enalteceu o poder de aglutinação dos nordestinos em lançar uma única proposta para todas as correntes políticas”. O secretário de Políticas Sindicais da Contraf-CUT alertou ainda que a discussão não se esgota no Congresso. “Vamos continuar debatendo o BNB como um banco público, forte, voltado para o Nordeste.

Para o diretor da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Waldenir Brito, o Congresso foi um esforço coletivo para construir a mobilização dos trabalhadores. O dirigente destacou também a busca pela unidade na luta em defesa dos direitos históricos, da Previdência e de um país melhor”.

 

Fonte: Contraf-CUT

 
 
 
 

 

AGENDA

Sem agenda no momento