Adiada entrega da Lotex para o capital privado

Nova data para o leilão é 26 de abril; em 2017 as loterias da Caixa repassaram 48% dos cerca de R$ 14 bilhões arrecadados para áreas como cultura, esporte, educação e segurança pública; com a venda, percentual cairá para 16,7%

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) adiou mais uma vez o leilão para entrega da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex), atualmente administrada pela Caixa Econômica Federal. A nova data para o certame é 26 de abril, e não mais 26 de março. A mudança foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira 19.

O movimento sindical é totalmente contra a privatização das loterias da Caixa, bem como de qualquer outro ativo do banco público. Conforme dados do banco, de 2011 a 2016, as loterias arrecadaram R$ 60 bilhões, dos quais R$ 27 bilhões foram destinados para financiamento de projetos em áreas como cultura, esporte, bolsa de estudo e segurança pública.

Em 2017, as loterias Caixa registraram, de forma global, arrecadação próxima a R$ 14 bilhões. Desse montante quase metade (48%) foi destinado aos programas sociais. Se a venda for efetivada, o montante deverá ser reduzido drasticamente, já que o leilão prevê repasse social de apenas 16,7%.

Esta é a quarta prorrogação da data do certame e a quinta tentativa do governo federal para conceder a exploração da “raspadinha” à iniciativa privada.

Um primeiro leilão da loteria havia sido agendado para julho do ano passado, mas não houve interessados. Depois, a programação era fazer o leilão no fim de novembro. Mas, ainda em novembro, o governo remarcou o leilão para dia 5 de fevereiro, data que foi alterada para 26 de março e, agora, redefinida para o próximo mês de abril. Com a decisão, os pedidos de esclarecimentos sobre o leilão poderão ser realizados até o dia 1º de abril e a entrega das propostas deve ser feita no dia 22 de abril.

 

Redação Spbancarios, com informações do UOL