Agências bancárias fecham em CG após avanço de Covid-19 entre funcionários

1 de fevereiro de 2022

Foto Divulgação

Um dos setores impactados pelo aumento do número de casos da Covid-19 têm sido o setor financeiro. Desde o início do ano, o número de bancários infectados vem sendo alarmante, fato que tem obrigado às agências a fecharem as portas, por falta de funcionários em todo o Estado. Em Campina Grande, somente o Bradesco, fechou quatro agências nesta semana, devido à crescente contaminação entre os trabalhadores. Apenas uma unidade do Banco está funcionando na Cidade e com o quadro reduzido de funcionários.

Além do Bradesco, outros Bancos também têm fechado as portas pelo mesmo motivo, assim como realizado atendimentos com o número reduzido no quadro de funcionários. O Sindicato não para de receber relatos de bancários que testaram positivo para covid e precisaram ser afastados das suas funções.

Com o agravamento da situação e a flexibilização dos protocolos de segurança por partes do Bancos, o movimento sindical tem cobrado das instituições o aumento da segurança sanitária.

Em reunião com a Fenaban no último dia 31/01, a representação dos trabalhadores além de cobrar mais rigor nos protocolos de segurança, voltou a reivindicar a suspensão de visitas a clientes neste momento de alta de casos de infecção; a retomada do teletrabalho em home office; melhorias do atendimento em telemedicina; o compromisso com a não-demissão; e a volta do controle de acesso às agências bancárias, entre outras ações.

Embora tenhamos obtido algumas respostas positivas, as medidas ainda são insuficientes para garantir a saúde e a vida dos bancários e evitar que os bancos se tornem um foco de transmissão da doença para toda a sociedade.

Máscaras – Uma das reinvindicações do movimento sindical é também a distribuição de máscaras adequadas para os trabalhadores. Os bancos não aceitaram fornecer máscaras apropriadas para seus funcionários, alegando que existem bancários que preferem usar suas próprias máscaras de pano.

Enquanto a reivindicação não é atendida, o Sindicato tem se mobilizado e visitado as agências e distribuído máscaras NK95 para os bancários, a fim de que eles possam se proteger melhor.

Organização das filas – Outro problema gerado pelo fechamento dos Bancos e a falta de funcionários suficientes são as aglomerações nas filas do lado de fora das unidades.

Sem alternativa de atendimento, com sua agência fechada, os clientes acabam migrando para outras unidades ocasionando o intenso fluxo de pessoas, que por vezes acabam entrando em conflitos e gerando uma tensão ainda maior na espera pelo atendimento.

Por isso, o Sindicato também vem reivindicando a volta da organização das filas. No início da pandemia, essa medida havia sido adotada para reduzir as aglomerações e foi algo que deu certo. Esperamos que os Bancos voltem a implementar esse tipo de ação.   

O movimento sindical cobra que as orientações sejam formalizadas para que não fique a critério dos gestores, haja vista que muitos estão evitando cumprir os protocolos para atender as metas colocadas pelos bancos.

Fonte: Seeb_CGR