Após negociação, Santander cria canal de denúncia de violência de gênero

2 de março de 2021

Medida formalizada na CCT dos bancários foi finalmente implementada pelo banco espanhol

Arte: Freepik

Santander implementou um canal de atendimento às mulheres vítimas de violência de gênero. O serviço é uma conquista da categoria assegurada na CCT dos bancários de 2020 e agora foi finalmente colocado em prática pelo banco espanhol.

Através do canal, o Santander oferecerá ajuda psicológica para além da cobertura do convênio médico para a vítima e sua família, além de assistência jurídica e financeira, caso seja necessário. O banco também auxiliará no encaminhamento à delegacia da mulher e na transferência de local de trabalho e residência. O atendimento é sigiloso e poderá ser feito através do Pape, pelo telefone 0800 723 44 72, disponível 24h.

“É importante entendermos que este não é um problema exclusivo da vítima, mas da sociedade como um todo, e os empregadores devem fazer parte da solução, abrindo canais de amparo e assistência. Esta é uma conquista para as bancárias e um avanço importante, resultado da negociação coletiva. O Brasil é o quinto país com maior número de casos de feminicídio, e a categoria bancária sai na frente e estabelece um novo marco civilizatório na negociação coletiva”, avalia a dirigente sindical Lucimara Malaquias, bancária do Santander. Ela explica que, embora já tivessem ocorridos atendimentos deste assunto anteriormente, com a CCT se estabeleceu um protocolo especializado para o tema.

“Cabem melhorias no atendimento realizado pelo banco, como dar treinamento aos gestores para identificar e saber lidar com funcionárias que são vítimas desta situação. Mas o mais importante é que estão em andamento o desenvolvimento e as melhorias do canal”, completou a sindicalista.

Fonte: Danilo Motta, redação Spbancarios