Aumento nos casos de Covid-19 preocupa e Sindicato faz alerta para prevenção

25 de novembro de 2020

Com uma segunda onda de contaminação pela Covid-19 já em evidência no Brasil e no mundo, o Sindicato chama a atenção da categoria para a manutenção dos procedimentos no tocante as medidas protetivas contra a doença. Novos estudos apontam um crescimento anormal no número de contaminação, reforçando o perigo de relaxar na prevenção.

Um estudo recente realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde, mostrou que neste ano, o Brasil já registrou 371 mil casos de doenças respiratórias graves que tinham a febre entre os sintomas. Dos casos entre eles analisados em laboratório, 98% eram covid-19.

Ainda segundo os pesquisadores, a taxa de contágio do coronavírus está acima de 1 em pelo menos 20 Estados do país, e há uma tendência moderada ou forte para aumento dos casos em 15 Estados, entre eles a Paraíba. Em Campina Grande, por exemplo, um estudo também recente divulgado pela Universidade Federal de Cidade (UFCG) apontou um aumento de 130% nos novos casos nas últimas duas semanas.

Os dados por si só revelam que o vírus segue circulando a todo vapor, e que o que está sendo divulgado pelas autoridades locais e nacionais não condiz a realidade dos fatos. Prova disto também, são os dados oficiais de hospitais públicos e privados do país, que veem registrando um novo aumento de internações pela doença.

A segunda onda de covid-19 tem preocupado o movimento sindical e foi tema de reunião entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação dos Bancos (Fenaban). O afrouxamento dos protocolos de segurança nas unidades e as ameaças de retorno ao trabalho presencial, levou os representantes dos trabalhadores a cobrarem medidas mais efetivas em relação ao problema.

Além disso, o movimento sindical também está empenhado na produção de um estudo para detectar as fontes de infecção em cada atividade de trabalho e possibilitar o planejamento de ações preventivas  

Os representantes dos trabalhadores defendem que é necessário um planejamento mais eficaz de ações para endossar a luta de combate ao vírus.  

Portanto, enquanto a vacina não chega, o Sindicato ressalta a importância do uso dos equipamentos de segurança nos locais de trabalho e o respeito as regras de distanciamento social, não só dentro das unidades, mas fora delas, no ambiente extra familiar.

A postura de cada um é a arma que temos para conter a disseminação do vírus, e minimizar as consequências das infecções entre a categoria e a população em geral.

Leia também

– Pesquisa visa produzir dossiê sobre Covid-19 no mercado de trabalho

– Mesa discute mais cuidados para enfrentar segunda onda da covid 19

Fonte: Seeb-CGR