Bancários participam do Lockdown Nacional

25 de março de 2021

Contraf-CUT organizou manifestações em vários estados por vacinas, auxílio emergencial de R$ 600, empregos e contra as privatizações

A categoria bancária se mobilizou nesta quarta-feira (24) no Lockdown Nacional em Defesa da Vida, organizado pelas centrais sindicais em defesa de vacinas para todos já, auxílio emergencial de R$ 600, empregos e contra as privatizações do governo Bolsonaro. A mobilização contou com a participação da CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST e CSB.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) participou da mobilização e, na segunda-feira (22), organizou plenárias virtuais com as federações e sindicatos. Foram preparadas panfletagens em praças, terminais de ônibus, trens e metrô, uso de carros de som; atos nas agências bancárias para diálogo com a sociedade e com os bancários, além do uso intenso das redes sociais para veicular materiais de divulgação da mobilização. Também foi orientado para que as atividades fossem junto com outras categorias, centrais sindicais, e movimentos como a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo.

Em Brasília, o Sindicato dos Bancários organizou colagem de cartazes em locais de grande circulação, além do uso de carros de som. Também foi realizada uma ação solidária com entrega de cestas básicas à população carente.

No Mato Grosso do Sul, houve protesto em agência do Banco Santander de Campo Grande, por desrespeito ao decreto de feriado municipal. Nas cidades do interior foram utilizados carros de som pelos bairros, fixação de outdoors e faixas em locais de grande circulação, mobilização pelas redes sociais, realizando um “memorial virtual” com nomes de trabalhadores falecidos, vítimas da Covid-19.

No Mato Grosso, também teve o uso de carros de som explicando à população as razões do lockdown, além de manifestações conjunta com outras categorias.

A Fetrafi Nordeste orientou todos os sindicatos da base para utilizarem carros de som pelas principais vias e a colagem de lambe-lambes com os preços dos alimentos, da gasolina e do gás de cozinha.

Em Campina Grande o Sindicato participou das ações articuladas pela CUT-PB que colocou diversos carros de som nos bairros da cidade defendendo vacina para todos e auxílio emergencial com valor digno. Também ocorreram mobilizações nas redes sociais e plenárias virtuais. 

A Fetec São Paulo realizou uma plenária estadual na segunda-feira (22) que contou com a presença de trabalhadores dos sindicatos da base São PauloABCAraraquaraAssisBarretosBragança PaulistaCatanduvaGuarulhosJundiaíLimeiraMogi da CruzesPresidente PrudenteTaubaté e Vale do Ribeira. Nessas cidades foram realizados tuitaços com a hashtag #LockdownPelaVida. Bancárias e bancários foram orientados a mudarem seus perfis no Facebook por arte pedindo Vacina Já. Também foi organizado um abaixo-assinado digital reivindicando a inclusão dos bancários no Plano Nacional de Imunização da vacinação do Covid-19. Outra orientação foi para pressionar os deputados e senadores a apoiar o pleito dos bancários por prioridade no Plano Nacional de Imunização contra a covid-19, por meio do site Na Pressão. Também foi reforçada a campanha “Menos Meta, mais Saúde – A vida vale mais” e a campanha “Bancário Solidário”, com doações em dinheiro por meio de PIX e doações de alimentos na Quadra dos Bancários de São Paulo.

O Sindicato dos Bancários da Bahia organizou distribuição de materiais nas unidades bancárias para funcionários e clientes. Também continuou campanha, com outdoors por toda Salvador, para chamar a atenção da sociedade aos riscos que a categoria é exposta.

Em Aracaju, houve protesto em frente à Prefeitura para cobrar mais medidas de proteção contra a Covid-19. A manifestação foi limitada para respeitar o distanciamento social.

Em Belo Horizonte, a Fetrafi Minas organizou colagem de “lambe-lambe” por toda a cidade, com o mote “Bolsocaro”. Foram utilizados carro de som nas periferias, com mensagens sobre o auxílio emergencial, a carestia e “Fora Bolsonaro” Também foram colocadas de faixas “Vacina para todos” em praças e locais de grande circulação; e mobilização pelas redes sociais. Outra atividade foi a projeção de mensagens em fachadas de prédios, com mensagens em defesa e da saúde da população, por auxílio emergencial de R$ 600.

Em Porto Alegre, o Sindicato dos Bancários organizou a colocação de faixas em passarelas e viadutos, a partir das 6h30, e realizou ato simbólico em frente ao Palácio Piratini, sede do Governo Estadual, às 10h. A categoria também fez um tuitaço, usou roupas pretas e enviou fotos pelas mídias sociais. Carros de som circularam pelos centros comerciais das cidades da base.

O Sindicato dos Bancários de Florianópolis organizou a circulação de carros de som pelos munícipios da base. Também orientou a categoria a aderir ao Dia de Vestir Branco, em homenagem às vítimas da Covid-19;

A Fetec Paraná orientou a categoria a usar as redes sociais com materiais sobre o lockdown e as reivindicações da mobilização.

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul orientou a mobilização nas agências bancárias e municípios por meio de cartazes, carros de som, manifestação e impulsionamento nas redes sociais e mídias locais.  Também impulsionou campanha de arrecadação de alimentos, produtos de limpeza e de higiene pessoal, além de roupas.

Em Campinas, o Sindicato dos Bancários organizou colagem de cartazes de alerta sobre o coronavírus nas agências e encaminhou ofício ao prefeito de Campinas, Dario Saadi, solicitando apoio à uniformização e redução do horário de atendimento bancário. O sindicato também impulsionou nas redes sociais divulgação do guia sobre covid-19 no trabalho. Um carro de som circulou nos bairros, orientado as pessoas a procurarem as agências bancárias apenas nos casos de necessidades inadiáveis. Campinas retomou a Campanha Bancário Solidário que terminará no dia 31 de maio.

Fonte: Seeb-CGR com informações da Contraf-CUT