Câmara define grupos prioritários na vacinação, mas deixa categoria bancária de fora

1 de abril de 2021

Nesta quarta-feira, 31 de março, a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base de um projeto (PL 1011/20) que define 16 grupos prioritários na vacinação contra a Covid 19, incluindo profissionais como taxistas, coveiros, trabalhadores em farmácias e oficiais de Justiça. Porém, a categoria bancária, mesmo se expondo ao vírus no atendimento diário à população, foi deixada de fora.

Em parecer, a relatora, Celina Leão (PP-DF), ressaltou que o governo já estabeleceu grupos prioritários, mas que, diante da escassez de vacinas, é preciso apontar aqueles cuja vacinação é “imprescindível”. Para o Sindicato, bancárias e bancários se enquadram nesta situação. Agora, para concluir a votação, os deputados precisam analisar destaques e a proposta seguirá para o Senado.

A atividade bancária é considerada essencial e prioritária desde o começo da pandemia. A categoria vem exercendo suas atividades com eficiência com as condições que lhe são oferecidas. Muitas vezes, bancárias e bancários têm que lidar com aglomerações e longas filas, inclusive no pagamento do auxílio emergencial pela CAIXA que será retomado em abril.

O Sindicato, juntamente com a Contraf-CUT e outras entidades de todo o Brasil, está mobilizado para mostrar ao poder público que vacinar bancárias e bancários significa proteger toda a sociedade. Um abaixo-assinado está no ar e já conta com quase 6 mil assinaturas (clique para acessar). A Contraf-CUT encaminhou ofício ao Ministério da Saúde  e o Sindicato também solicitou ao Governo do Estado a inclusão do bancários nos grupos prioritários para vacina.

Veja os grupos prioritários previstos pelo projeto na Câmara:

  • Pessoas com deficiência
  • Profissionais de saúde e funcionários que trabalham em ambiente hospitalar
  • Pessoas idosas
  • Pessoas com doenças crônicas e as que tiveram embolia pulmonar
  • Povos indígenas
  • Caminhoneiros e demais motoristas de transporte rodoviário de cargas
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros
  • Trabalhadores de transporte aquaviário de cargas e passageiros
  • Agentes de segurança pública e privada, desde que estejam comprovadamente em atividade externa
  • Assistentes sociais e conselheiros tutelares que prestam atendimento ao público
  • Trabalhadores da educação do Ensino Básico em exercício nos ambientes escolares
  • Coveiros, atendentes e agentes funerários
  • Taxistas e os mototaxistas
  • Profissionais que trabalham em farmácias
  • Profissionais de limpeza pública
  • Oficiais de Justiça

Veja a ordem definida pelo Ministério da Saúde no Plano Nacional de Imunização (PNI):

  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas
  • Povos indígenas vivendo em terras indígenas
  • Trabalhadores da Saúde
  • Pessoas de 75 anos ou mais
  • Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas
  • Povos e comunidades tradicionais quilombolas
  • Pessoas de 60 a 74 anos
  • Pessoas de 18 a 59 anos com comorbidades
  • Pessoas com deficiência permanente grave
  • Pessoas em situação de rua
  • População privada de liberdade
  • Funcionário do sistema de privação de liberdade
  • Trabalhadores de educação
  • Forças de segurança, salvamento e Forças Armadas
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros
  • Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário
  • Trabalhadores de transporte aéreo
  • Trabalhadores de transporte de aquaviário
  • Caminhoneiros
  • Trabalhadores portuários
  • Trabalhadores industriais

 

Fonte: Seeb-CGR com G1