Câmara reinicia debate sobre reforma da Previdência, e Maia diz que será votada às 15h

Mobilização da CUT, demais centrais e movimentos sociais continua no Congresso Nacional para barrar a PEC 6/2019

De olho no recesso parlamentar, que começa no próximo dia 18, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), afirmou nos bastidores e para a imprensa que a ideia é aprovar em dois turnos a PEC 006/2019, da reforma da Previdência, até a próxima sexta-feira 12.

Mesmo com pressão de lideranças de partidos de oposição, das centrais sindicais e dos movimentos sociais, há uma força tarefa para aprovar a PEC nesta quarta-feira 10. Além da pressão nos gabinetes, às 14 horas está previsto um ato contra a reforma da Previdência aos redores do Congresso Nacional.

Segundo o portal da Câmara, Rodrigo Maia afirmou que a votação do texto principal da reforma da Previdência (PEC 6/19) deve ter início por volta das 15h. O presidente da Câmara também afirmou que é possível terminar a votação dos dois turnos até sexta-feira. Para ser aprovado, o texto precisa dos votos favoráveis de 308 deputados em cada turno, para ser enviado ao Senado.

Os deputados federais já iniciaram a discussão da matéria; acompanhe ao vivo pelo site da Câmara. Ou abaixo:

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) destaca que a proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro não combate privilégios, atinge apenas os mais pobres, reduz aposentadoria da mulher, mexe nas pensões, altera a idade para aposentadoria do trabalhador rural e dos professores.

Discussão da matéria na terça 9

Com pouco mais de três horas de debate e com denúncia de compra de votos, o governo passou o rolo compressor e encerrou, na noite de terça-feira 9, a discussão da proposta de Reforma da Previdência (PEC 06/2019).

Não adiantou a obstrução da oposição ou os pedidos de retirada da proposta da pauta. Pouco depois da meia noite e meia por 353 a 118 votos foi aprovado o encerramento da discussão da proposta que vai inviabilizar a aposentadoria de milhões de brasileiros. Veja como votaram os deputados por partido.

Veja como votaram os deputados da comissão especial que aprovou reforma da Previdência

Saiba como pressionar deputados que querem tirar a sua aposentadoria

Com esta votação, Rodrigo Maia afirmou nos bastidores que já tem os 308 votos necessários para mudar a Constituição, mas lideranças de partidos, da CUT e demais centrais falam que não é certeza sobre os votos.

“Precisamos continuar pressionando os deputados e as deputadas para que votem com o trabalhador e a trabalhadora e digam não para esta proposta que vai fazer a gente trabalhar por muito mais tempo e reduzir valor do benefício”, disse o presidente da CUT Vagner Freitas.

Dia 12

A CUT e demais centrais sindicais estão organizando um ato Nacional em defesa da aposentadoria em Brasília, junto com a União Nacional dos Estudantes (UNE).

CUT, com edição da Redação Spbancarios