Comando Nacional intensifica pressão por vacina

28 de maio de 2021

O Comando Nacional dos Bancários intensifica a pressão por vacinas. Os representantes dos trabalhadores enviaram ofícios aos presidentes da Caixa, Pedro Guimarães, e do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, solicitando ajuda na interlocução com o Ministério da Saúde.

O presidente do BB já fez uma aceno positivo sobre a reivindicação, durante negociação com os representantes dos funcionários. Os bancários estão altamente expostos ao coronavírus e, portanto, precisam ter prioridade no PNI (Plano Nacional de Imunização).

Para se ter ideia, um levantamento recente feito com os empregados da Caixa revelou que 8 mil trabalhadores testaram positivo para a Covid-19 apenas neste ano. Número que certamente já cresceu. 

O Boletim Emprego em Pauta, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) de maio de 2021, destacou que o número de desligamentos por morte de trabalhadores com carteira assinada cresceu 71,6% na comparação entre os primeiros trimestres de 2020 e 2021. “Entre mais de 20 setores econômicos analisados as ‘Atividades Financeiras, de Seguros e Serviços Relacionados’, na qual os bancários estão enquadrados, foi o terceiro com maior variação no número de desligamentos por morte no 1º trimestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020, com variação de 114,6%”, afirmou Gustavo Cavarzan, economista do Dieese.

Entre todas as atividades econômicas, na mesma comparação entre os primeiros trimestres de 2020 e 2021, os trabalhadores da área de educação apresentaram variação de 106,7%, os do setor de transporte, armazenagem e correio, tiveram crescimento de 95,2%; atividades administrativas e serviços complementares, 78,7%; atenção à saúde humana, 75,9%.