Contraf-CUT cobra o fim do abuso na Caixa

24 de julho de 2020

Neste fim de semana, a direção da Caixa convoca os GGRs para trabalho gratuito após tarefas extenuantes; Movimento sindical cobra o fim da cobrança de metas e o retorno ao contingenciamento do atendimento à população

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), por intermédio da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/ Caixa), cobra o fim do trabalho estendido (aos finais de semana), o fim da cobrança de metas e a volta do contingenciamento nas agências para garantir que a população seja atendida da melhor forma sem sobrecarregar os empregados.

A cobrança foi motivada pela convocação dos gerentes gerais a trabalharem neste sábado (25). A ação revoltou os empregados, que há meses trabalham exaustivamente. Desabafos de trabalhadores começaram a pipocar nas redes sociais. Um dos mais famosos tem o título “vocês vão nos matar” e aponta que “o que a Caixa quer na pandemia não é gestão, é milagre, é o impossível.”

Outro relata a enorme lista diária de demandas, entre elas “assistir Live idiota todo dia às 16h.”

“Os empregados não aguentam mais tanta pressão, tanta cobrança, tanta meta. Existe uma pandemia acontecendo, os atendimentos precisam ser feitos exclusivamente para os pagamentos. A meta agora tem de ser a preservação das vidas”, afirmou Dionísio Reis, coordenador da CEE/Caixa.

Fonte: Contraf-CUT