Empregados cobram resposta da Caixa sobre não adesão ao Censo da Diversidade

Banco foi questionado sobre impossibilidade de os empregados responderem ao questionário e ainda não deu resposta
 
 

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e o Comando Nacional dos bancários aguardam a resposta do banco sobre adesão ao 3º Censo da Diversidade Bancária. “A Caixa aderiu ao Censo durante nossa última Campanha Nacional. Mas, depois de recebermos reclamações de empregados que não conseguem responder ao questionário, descobrimos que o banco, na prática, não aderiu. Isso é descumprir o que está acordado na CCT (Convenção Coletiva de Trabalho)”, disse o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa, Dionísio Reis.

Na última reunião de negociações entre o Comando e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), a Caixa foi questionada sobre sua não adesão ao Censo e ficou de responder até o final daquela semana.

“Já se passaram 15 dias da reunião e ainda não recebemos a resposta do banco”, informou o coordenador da CEBB. “O banco já teve tempo suficiente para nos responder. Vamos contatá-los para cobrar a resposta”, completou.

Igualdade de oportunidades

O levantamento visa traçar o perfil da categoria bancária por gênero, orientação sexual, raça e pessoas com deficiência (PCDs) com o objetivo de analisar as políticas de inclusão dos bancos e promover a igualdade de oportunidades no setor bancário.

O 3º Censo da Diversidade é uma das conquistas da categoria na Mesa de Negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os levantamentos anteriores foram realizados em 2008 e 2014. Fonte: Contraf-CUT