Empregados da Caixa lançam carta aberta em defesa do banco público

3 de agosto de 2020

O documento, assinado também pelo Comitê em Defesa da Caixa, destaca o trabalho essencial que a categoria tem realizado para garantir a sobrevivência da população mais carente e cobra valorização por parte da direção do banco e do governo

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) e o Comitê em Defesa da Caixa divulgaram nesta sexta-feira (31) uma carta aberta à população, na qual defendem condições dignas de trabalho, respeito aos empregados do banco público e atendimento digno à população. Os representantes dos trabalhadores criticam a fragilidade das ações do governo Bolsonaro no combate à covid-19 e no enfrentamento da crise econômica, e enfatizam o papel social do banco público nesse contexto.

No documento, intitulado “O empregado da Caixa é essencial para o Brasil seguir em frente”, a Fenae e o Comitê relatam as precariedades das condições de trabalho, com extrapolação de jornada, pressão, cobranças por metas abusivas, além da exposição à contaminação por conta das aglomerações nas agências por todo o país.

Na Carta Aberta à População, publicada no jornal Folha de São Paulo e divulgada por outros veículos, como O Globo, as entidades lembram que apesar dificuldades, os empregados da Caixa não têm medido esforços, inclusive com trabalho aos finais de semana, “enfrentando riscos diários de sua contaminação, e de seus familiares, para garantir que nossa população tenha condições de sobrevivência durante o período de pandemia”.

O documento também destaca que, apesar do serviço essencial que realizam, os trabalhadores do banco têm sofrido críticas, ofensas e até agressões por conta da desorganização do governo e das falhas no sistema de pagamento do auxílio emergencial. Mesmo com essas hostilidades, os empregados já atenderam mais da metade da população brasileira, demonstrando ser a Caixa imprescindível como banco público e primordial em sua ação social. “Defender a Caixa, como banco público, passa também pelo reconhecimento de seus empregados e pela defesa de melhores condições de trabalho”, enfatizam Fenae e o Comitê.

Confira a Íntegra da carta

Fonte: Seeb-CGR com informações do Seeb-SP