Mesa Permanente de Saúde debate protocolo contra Covid-19

1 de outubro de 2021

Representantes da categoria querem definir protocolo base que garanta segurança nos ambientes de trabalho
 
Representantes do Comando Nacional d@s Bancári@s e da Federação Nacional dos bancos (Fenaban) se reuniram nesta sexta-feira (1º) na Mesa Permanente de Saúde para discutir o protocolo base de segurança contra a Covid-19. A formalização do protocolo é necessária no momento em que os bancos cada vez mais insistam na volta ao trabalho presencial.
 

“Um protocolo base é importante no momento em que verificamos que já existe um retorno ao trabalho presencial nas agências e departamento. Isso nos preocupa porque é fundamental termos medidas rígidas de proteção nos ambientes. Por mais que se tenha avançado com a vacinação, o número de óbitos continua alto. Temos que manter as exigências de cuidados, no uso de máscaras, de não ter aglomeração, de haver higienização dos ambientes”, afirmou Mauro Salles, secretário de Saúde do Trabalhador da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Mauro Salles, um dos integrantes da Mesa, representando a categoria.

A Fenaban pediu mais um tempo para formalizar o protocolo. Desde o ano passado a Mesa discute um protocolo único para todos os bancos, para garantir a segurança de bancárias e bancários nos ambientes de trabalho. O Comando Nacional da categoria analisou uma proposta de protocolo feita pela Fenaban e apresentou considerações sobre alguns pontos. Os representantes dos bancos ainda analisam as considerações. “Queremos um protocolo base, acordado pela categoria e pelos bancos porque a volta à chamada normalidade ainda nos preocupa”, ressaltou Mauro Salles.

A reunião decidiu também retomar os encontros regulares da Mesa Permanente de Saúde e marcou para o dia 25 novo encontro para tratar de outros pontos que envolvam a saúde de bancárias e bancários, como metas abusivas, sequelas da Covid-19 e atenção ao adoecido. Na ocasião, serão apresentados resultados da pesquisa feita na categoria sobre as sequelas nos contagiados pela pandemia.

Fonte: Contraf-CUT