No Brasil, número de mortes por Covid-19 em 2021 já supera todo ano de 2020

26 de abril de 2021

Somente neste mês de abril, foram registradas 69.282 vítimas fatais de coronavírus no país

Em apenas quatro meses, a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, já matou mais brasileiros do que em todo o ano passado, segundo dados do Ministério da Saúde. Entre 1º de janeiro e 25 de abril de 2021, neste domingo, foram notificadas 195.848 mortes.

Já entre 12 de março de 2020, data da primeira morte por Covid-19 registrada no país, e 31 de dezembro do ano passado, foram registradas 194.949 vítimas fatais da doença.

Mais de 14.340.787 brasileiros foram diagnosticados com Covid-19 e 390.797 morreram em consequências de complicações causadas pela doença até às18h deste domingo (25).

Mesmo com os números alarmantes de casos e mortes, várias capitais começaram a flexibilizar as ações de combate à doença reabrindo as atividades econômicas e religiosas. O Brasil registra, em média, mais de 2 mil vidas perdidas por dia. Para os especialistas, o número elevado de casos e de mortes nas últimas semanas indica que este não é o melhor momento de reabertura da economia.

Outra preocupação dos especialistas é que o Brasil estabilizou em um platô elevado de mortes por dia, após vários meses de aumentos nas curvas de mortes e contágios.

O país vive na segunda quinzena de abril um cenário parecido com o vivido no mês de maio do ano passado, porém, os números ainda resistem a dar sinais de melhora.

Aglomerações no fim de semana

As flexibilizações anunciadas por governadores e prefeitos tem levado a população às ruas no fim de semana. Na madrugada deste domingo (25) no estado de São Paulo, durante o segundo fim de semana com maiores flexibilizações do Plano São Paulo, da gestão João Doria (PSDB), a Polícia Militar fez 4.479 ações de dispersão no estado, entre sábado e domingo, um aumento de 3,2% em relação as 4.338 ocorrências do tipo registradas no mesmo período no fim de semana passado.

Em 36 horas, contadas a partir das 18h de sexta-feira (23), também foram registradas 569 aglomerações em todo o estado e 136 na cidade de São Paulo, onde também a PM realizou 706 ações de dispersão, equivalendo a quase 20 casos por hora.

Foram registrados também em São Paulo baladas clandestinas e aglomerações irregulares, em bares e restaurantes. Na Vila Madalena, bares e muita aglomerações de pessoas sem o uso da máscara.

Em Santana, na Avenida Ataliba Leonel, ao menos um bar apresentou lotação claramente superior aos 25% – com grande parte dos clientes em pé e sem nenhum sinal de uso de máscaras. 

No Rio de Janeiro, banhistas lotaram as praias neste final de semana, mesmo com a proibição da permanência nas areias e do banho de mar pela prefeitura.

A movimentação foi registrada nas praias do Arpoador, Barra da Tijuca, Copacabana e Leme. Os cariocas aproveitaram a praia da Barra, com pontos de aglomeração na altura do Posto 4 ao Posto 7.

Foram registradas 1.266 autuações pela Prefeitura do Rio durante o primeiro dia de vigência das medidas de restrição definidas pelo decreto nº 48.787.

Entre as autuações estão multas, interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias.

Fonte: CUT-PB