Caixa fica em segundo lugar no ranking de reclamações do BC

A Caixa Econômica Federal ficou na vice-liderança do incômodo ranking de reclamações do Banco Central em janeiro, com 842 queixas procedentes e índice 10,73. No ano passado, o banco público esteve no topo da lista por sete meses, consolidando a liderança também no acumulado de 2015.

A instituição perdeu mais de 3 mil empregados que aderiram ao Plano de Apoio à Aposentadoria (PAA) do ano passado e admitiu apenas 7,54% dos 32.879 candidatos aprovados em concurso público realizado em 2014. Segundo o dado mais recente, o banco tinha, em média, 23 empregados por unidade, a pior situação desde 2003.

“Tal situação demonstra a necessidade da Caixa retomar as contratações, uma vez que a situação nas agências é de trabalhadores sobrecarregados e adoecendo mais, e de clientes e usuários insatisfeitos”, diz Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae. Fabiana Matheus, coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), lembra: “em 2 de março, no Dia Nacional de Luta, vamos protestar contra a intransigência da direção do banco”.

Em primeiro lugar das reclamações do BC, está o BMG, com 158 queixas consideradas procedentes e índice de 71,85. Em terceiro lugar está o Itaú (480 queixas e índice 7,99); seguido pelo Bradesco (591 queixas e índice 7,65) e Santander (188 queixas e índice 5,57). A reclamação mais comum foi a não contratação, ou contratação inadequada, de cartão de crédito consignado.

Fonte: Fenae