Sindicato apoia Eliane Brasil para Caref BNB

Capacidade de defender os funcionários e banco público a qualificam como melhor candidata

A candidata para o Conselheiro Representante dos Empregados no Conselho de Administração do Banco do Nordeste (Caref BNB), Eliane Brasil, que é apoiada pelo Sindicato e pela Contraf-CUT, vai disputar o segundo turno do pleito, que acontecerá no período de 6 a 12 de fevereiro.

Precisamos de uma representante que defenda Banco do Nordeste enquanto banco público. Somente uma pessoa com o conhecimento dela, que entenda e conheça as lideranças, pode fazer diferença na defesa de um banco forte, com capacidade de contribuir para o desenvolvimento de nossa Região.

Paraibana, com 29 anos de Banco, Eliane Brasil foi gerente de ambiente, superintendente e a primeira mulher diretora do BNB durante o governo do PT, quando ocupou a Diretoria Administrativa e de Tecnologia da Informação. Antes ocupou a Superintendência de Desenvolvimento Humano, criando a Célula de Relacionamento com os Funcionários e a Universidade Corporativa, responsável por qualificar e expandir a área de treinamento do Banco.

Em sua passagem pela área de Gestão de Pessoas foi criado o Plano CV1 da Capef, incluindo milhares de funcionários concursados que não poderiam participar do Plano BD, que era destinado apenas aos funcionários antigos do Banco. Também foi responsável pela requalificação do Plano de Funções do Banco, valorizando em até 100% a função de Caixa-Executivo e de Técnico de Campo.

O Programa Talento Premiado – até hoje instrumento de reconhecimento do trabalho dos funcionários no Programa de Ação do Banco – também foi criado durante sua trajetória pela área de Recursos Humanos.

Pelas funções que ocupou e por saber como funciona a burocracia e como tramitam as propostas no âmbito do banco é a mais qualificada para o cargo no Conselho de Administração. Tem estofo técnico e emocional para debater de igual para igual com os representantes do atual governo no Conselho de Administração, realizando trabalho de vigilância e oposição às ameaças de esvaziamento do BNB.

 

Fonte: Seeb-CGR