Comando tem a segunda negociação com o BNB, dentro da Campanha 2018

Na quinta-feira (26), a Contraf-CUT, assessorada pela Comissão Nacional dos Funcionários do BNB,  se reuniu com diretores do Banco, na segunda negociação específica, visando o acordo 2018/2019. Foram apresentadas à representação do BNB, as cláusulas sobre PCR, concurso, concorrências, reestruturação e repasses da Camed Corretora. A negociação contou com a presença do secretário geral da Contraf-CUT, Gustavo Tabatinga e representantes de Sindicatos com o BNB em sua base

Nessa rodada, inicialmente, os representantes dos trabalhadores colocaram na mesa a necessidade de suspensão do reajuste da contribuição para a Camed, principalmente da cobrança retroativa a janeiro deste ano. Após debate com o Banco, que explicitou a necessidade da aprovação do aumento e da sua autorização pelo Banco e no âmbito da SEST, solicitou-se ampliação do prazo do pagamento das parcelas atrasadas, para até 24 meses, se assim o funcionário optar.

Os representantes dos trabalhadores fizeram ampla defesa da importância da revisão do Plano de Cargos e Remuneração (PCR). O Banco mandou resgatar o estudo elaborado pelo grupo de trabalho, para que possa reabrir a discussão na próxima reunião.

Os representantes sindicais cobraram em mesa novo processo de concorrências. O Banco informou que vai reabrir o processo com mais de 220 concorrências, atendendo assim, reivindicação dos funcionários. Foi cobrado mais empenho na contratação de novos bancários e na busca de autorização para realização de novos concursos.

Também colocou-se em mesa, os processos de reestruturação que o BNB tem feito, pedindo garantias da Cláusula 37 da Minuta, reforçando a importância de que sejam assegurados 12 meses da função em comissão do trabalhador, caso ele seja impactado pela reestruturação. O Banco ficou de analisar essa proposta. Em mesa anterior, as entidades conseguiram ampliar esse prazo de três para seis meses, mais ainda é insuficiente diante do cenário adverso enfrentado pelos funcionários.

Também foi cobrado pelos sindicatos posicionamento do Banco sobre a Cláusula 53 da pauta de reivindicações específicas que trata do aumento do repasse da Camed Corretora, de 35% para 55% do seu lucro líquido para fortalecer a Camed Saúde. O Banco ficou de analisar a proposta.

Foi ressaltada a necessidade da assinatura do pré-acordo, mas o Banco disse que vai aguardar o desenrolar das negociações. Foi reivindicado também que o novo acordo garanta todos os direitos já conquistados com uma perspectiva positiva nesse sentido, embora sem fechamento em mesa.

A reunião tratou também da contratação da empresa Trivale, que operacionaliza o ValeCard. Diretores dessa empresa presentes à reunião disserem ter total interesse de resolver a questão da rede de atendimento, e disponibilizaram um whatsapp institucional e email – bnb@valecard.com.br (nos canais internos do banco) para o funcionário, se quiser, indicar estabelecimentos para parceria, tanto para o cartão alimentação, como cartão refeição.

“A direção do BNB tem demonstrado sensibilidade para a negociação, atendendo as entidades sindicais naquele que é possível, dentro de sua alçada decisória. Infelizmente, o BNB deve obediência aos órgãos controladores que, sob a orientação do governo golpista de Michel Temer, impõem restrições à direção da Instituição no momento de atender os interesses dos trabalhadores”,  disse Gustavo Tabatinga, secretário geral da Contraf-CUT, membro do Comando Nacional dos Bancários.

Fonte: SEEB/CE