Santander ignora risco de contaminação e não adota medidas de segurança após caso confirmado de Covid-19 em agência

4 de setembro de 2020

Agência Marquês do Herval, Centro, Campina Grande -PB.

O descaso do Santander ante a pandemia não tem limites. Ignorando a gravidade dos riscos de contaminação causados pelo novo coronavírus, o banco em uma atitude totalmente irresponsável, se negou a cumprir as medidas preventivas de segurança após caso confirmado de Covid-19 na agência Marquês do Herval, em Campina Grande, colocando a vida não só dos funcionários, mas de todos os clientes e usuários da unidade em risco.

Na última terça-feira (1), o Sindicato esteve na unidade depois da confirmação de que uma funcionária havia testado positivo para a doença. Os representantes dos trabalhadores cobraram da gerência local, que o protocolo de segurança fosse cumprido, como a sanitização imediata da unidade e afastamento dos demais bancários da agência, para cumprir quarentena e serem submetidos a testes. Contudo, até o momento nenhuma medida foi tomada. 

O Sindicato também entrou em contato como Superintendente do Banco Espanhol, mas não foi atendido.

Para a diretoria do Sindicato, a negligência do banco agrava ainda mais as consequências da doença, já que aumenta as chances de que mais pessoas sejam infectadas e possam até mesmo ter suas vidas interrompidas. O banco tem o dever de agir de forma preventiva e zelar pela proteção da saúde dos seus trabalhadores e dos clientes, que também estão altamente expostos ao risco de contágio. Enquanto a entidade sindical cobra para que o protocolo seja cumprido, o quanto antes, o contágio ocorre de forma rápida e outras pessoas já podem ter sido infectadas.

O protocolo do Santander é frágil. Já que determina que as agências só devem entrar em quarentena assim que houver a confirmação do exame feito por algum dos bancários, o que, para a entidade sindical, é arriscado, haja vista que a demora para obter o resultado dos testes de coronavírus é um dos maiores problemas da pandemia no Brasil.

O Sindicato cobra que as medidas efetivas para proteger a saúde de bancários e clientes sejam tomadas. O afastamento dos funcionários que testaram positivo, assim como de todos os colegas que tiveram contato com eles, além do fechamento imediato da unidade para sanitização são fundamentais, e o Santander tem o dever de agir para que essas medidas sejam cumpridas. Afinal vidas importam mais que lucros.

Santander respeite seus trabalhadores. Santander respeite o Brasil!