Sindicato cobra mais segurança para bancários e clientes

12 de maio de 2022

O momento de insegurança que vivenciamos em nosso estado e, consequentemente, em Campina Grande, atinge também os bancários, com o aumento no número de assaltos as instituições financeiras e explosões de caixas eletrônicos. Só este ano, foram oito casos envolvendo arrombamentos, explosões e assaltos em plena luz do dia. 

O Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região está preocupado com a situação. O assalto à agência Parque da Criança do Banco do Brasil, na tarde desta quarta-feira (11), deixa claro a vulnerabilidade a que funcionários e clientes estão expostos.

O movimento sindical vem há muito tempo cobrando a construção de políticas em prol de melhorias na segurança bancária. Tais ações criminosas trazem efeitos diretos para a saúde dos trabalhadores, que são expostos a traumas que podem ocasionar em depressão ou outros distúrbios, como a síndrome do pânico.

Ainda ontem, ao tomar conhecimento do ocorrido, a diretoria do Sindicato esteve na unidade para dar apoio aos funcionários e cobrar do Banco assistência médica, psicológica e a emissão das CATs aos bancários. Eles estão sendo atendidos pelos médicos da Cassi.

O Sindicato cobra mais segurança por parte dos bancos e também do poder público. É notório que o governo do Estado precisa adotar medidas que possam trazer mais proteção, não só aos trabalhadores e clientes de bancos, mas a população de modo geral.

Com este ataque ao BB do Parque da Criança, em todo o Estado, de janeiro até agora, já foram notificados uma explosão no Banco 24h do município de Massaranduba, um assalto ao BB de Taperoá, um assalto ao Sicredi do bairro Catolé, em Campina Grande, mais um assalto ao Sicoob no bairro da Prata em Campina Grande, duas explosões no município de Picuí, sendo uma no BNB e outra na Caixa, e um arrombamento ao Bradesco do bairro Valentina Figueiredo, em João Pessoa.

 

Fonte: Seeb_CGR