Sindicato continua defendendo uso de máscaras nos locais de trabalho

14 de abril de 2022

Decretos pondo fim à obrigatoriedade confunde a sociedade e aumenta risco de contaminação pela Covid-19

O Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, assim como a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), mantêm a orientação para que toda a categoria bancária continue usando máscara, nos ambientes fechados e abertos, e que recomendem aos seus familiares o mesmo procedimento. Apesar dos decretos que flexibilizam ou desobrigam o uso, a palavra final deve ser a da ciência, que ainda considera inoportuno abandonar a medida protetiva.

O uso da máscara, bem como outros cuidados previstos nos protocolos contra a Covid-19, deve ser redobrado no ambiente de trabalho, sobretudo para os bancários, que estão em contato permanente com o público. A pandemia não acabou, e são frequentes as novas variantes do coronavírus. Para a diretoria do Sindicato, minimizar o perigo da pandemia neste momento, apenas considerando dados estatísticos, é um erro. O que interessa são os dados e as avaliações científicas.

É com essa preocupação que o Sindicato, a Contraf-CUT e demais entidades representativas da categoria indicam a continuidade do uso da máscara, e exigem dos bancos que mantenham todos os protocolos negociados e assinados com a representação dos trabalhadores. “É uma questão de saúde, de defesa da vida, nossa e dos outros.

Instituições de saúde e renomados cientistas, do Brasil e do mundo, têm desaconselhado a remoção da máscara, entre eles a Fundação Osvaldo Cruz (Fioruz) e o cientista Miguel Nicolelis. Para este último, desobrigar o uso da máscara neste momento parece mais uma ação política, conveniente no ano de eleições, para tentar mascarar a verdade sobre o estado real da pandemia.

“Pelo seu bem e pelo bem dos seus familiares e da sociedade como um todo, mantenha o uso das máscaras, evite ao máximo aglomerações, vacine-se e não ceda à tentação de achar que o normal voltou só porque políticos incompetentes e irresponsáveis decretaram. O preço desta rendição incondicional é caro demais: a qualidade da sua vida futura – ou a falta dela – está em jogo. Use máscaras e diga não ao absurdo”, aconselha o cientista.

Fonte: Seeb-CGR