Sindicato se reúne com Regional do Bradesco e cobra manutenção de empregos

6 de outubro de 2020

O Sindicato se reuniu nesta terça-feira (6), com o Regional do Bradesco, Gustavo Tenório, em Campina Grande, para tratar da situação dos funcionários diante das notícias fechamento de uma agência na cidade, de outras que serão transformadas em unidades de negócios e dos boatos de possíveis demissões, decorrentes do comunicado interno do banco emitido na semana passada que fala em conceder “Benefício Adicional ao Desligamento” sem justa causa.

Os representantes dos trabalhadores externaram sua preocupação sobre como irá ficar a situação dos funcionários da sua base de atuação, já que segundo informações, aqui na região uma agência será incorporada e outras três serão transformadas em unidades de negócios, duas em Campina Grande e uma em Areia.

Os dirigentes sindicais cobraram a manutenção do emprego para os funcionários lotados na unidade que será incorporada. E também estenderam sua preocupação com os trabalhadores das agências que se transformarão em unidades de negócios, já que estas unidades deixarão de operar com numerário, e consequentemente irão funcionar sem vigilantes e porta giratória.

Demissões em massa

O Santander demitiu mais de mil bancários em 2020. Outras 400 demissões foram feitas pelo Itaú e o Bradesco anuncia que também vai demitir. 

Mesmo em meio à crise econômica, todos estes bancos que seguiram com lucros milionários, quebram o compromisso firmado publicamente de não demitir na pandemia, e empurram centenas de pais de famílias para a dura realidade do desemprego.

Para satisfazer a ganância dos seus acionistas, os bancos privados reduzem suas despesas, fechando agências, ceifando postos de trabalho, demitindo em massa, sobrecarregando os trabalhadores que ficam, além de trazer transtornos as pessoas que utilizam os bancos.

Com tantas demissões, um quadro que já era agravante para recuperação da economia fica cada vez pior.   

Cadê a responsabilidade social dos bancos privados que se comprometeram em não demitir durante a pandemia?

Fonte: Seeb_CGR